Viagem a Portugal Treblinka A Cidade dos Mortos Alentejo, Alentejo Sérgio Tréfaut FAUX ENGLISH

  • Sinopse
    Viagem a Portugal é um filme político sobre os procedimentos de controle de estrangeiros nos aeroportos europeus e sobre o tratamento desumano, que é aceite como prática comum nos dias de hoje.
    Maria, uma médica ucraniana, aterra no aeroporto de Faro, em Portugal, com um visto de turismo.
    Entre todos os passageiros do seu avião, Maria é a única a ser detida e interrogada pela polícia de estrangeiros e fronteiras.
    A situação transforma-se num pesadelo quando a polícia percebe que o homem que espera Maria no aeroporto é senegalês.
    Imigração ilegal? Tráfico humano? Tudo é possível.
    Viagem a Portugal é um filme inspirado numa história real.


  • Críticas
    O Júri do XX Spirit of Fire International Film Festival (Khanty-Mansiysk - Sibéria) presidido pelo realizador georgiano Rezo Chkheidze atribuiu a Taiga de Ouro do Festival (primeiro prémio) à longa-metragem "Viagem a Portugal" de Sérgio Tréfaut pela sua sobriedade e pela sua modernidade. Baseado numa história real, o filme retrata com coragem e eficiência o abuso de poder e a recusa dos direitos elementares de dignidade humana pela polícia de imigração dos aeroportos.
    Moritz de Hadeln

  • "Viagem a Portugal" é um grande filme porque desafia convenções e ao mesmo tempo conta uma história que merece ser contada. (...) É o tipo de filme – prodigioso, desafiador, diferente – de que o cinema português precisa urgentemente. Duas interpretações sublimes de Maria de Medeiros e Isabel Ruth.»
    Pedro Ponte, Antecinema

  • «A estreia de Tréfaut nas longas-metragens de ficção não se confunde com nenhum outro filme. Tem identidade, arrojo, forma e substância. (...) Claramente com poucos meios, Tréfaut tem o bom gosto de fazer simples e belo.»
    Alexandre Borges, Jornal i

    «“Viagem a Portugal” é a primeira longa-metragem de ficção de Sérgio Tréfaut, cineasta com alguns dos mais marcantes documentários portugueses da última década ("Fleurette", "Lisboetas").
    Constroi-se a partir de um caso verídico, pés assentes na realidade, tem uma ética de documentarista, mas faz-se segundo um esquema conceptual muito marcado. (...) Há uma sufocação carceral, uma instalação do absurdo, todavia sem violência animosa, tudo segundo uma série de procedimentos de inequívoca racionalidade (e,se calhar, necessidade), os membros do corpo policial estão ali a fazer o seu dever sem acrimónia e até podem ser solidários e simpáticos. Mas tudo aquilo é tão degradante da condição humana que se torna bárbaro. Na sua geometria formal, “Viagem a Portugal” tem un sentido de denúncia enérgico que nos abala.»
    Jorge Leitão Ramos, Expresso – Atual

    «Mantendo-se fiel aos temas centrais do seu cinema (os movimentos migratórios, o desenraizamento geográfico e afectivo), Tréfaut tem aqui o mais arrojado dos seus trabalhos.»
    Vasco Baptista Marques, Expresso – Atual

    «Maria de Medeiros é enorme no olhar e na forma como defende esta mulher.»
    Angela Marques, Diário Económico

    «Viagem a Portugal é uma obra muito bem conseguida, com um trabalho de câmara magnífico.»
    André Santos, Time Out

    «Tréfaut consegue concentrar o espectador naquilo que realmente interessa, que é a dimensão humana da história, muitíssimo bem transportada por uma Maria de Medeiros que não víamos com tanta garra no cinema há anos e por uma Isabel Ruth arrepiante.(...) Uma surpresa.»
    Jorge Mourinha, Público